Top Ad 728x90

5 de jan de 2009

NOVAMENTE ENTRE A LEI E O CRIME


Depois de 23 anos de carreira e do mega sucesso Tropa de Elite, que o revelou para o Brasil, Caio Junqueira retorna ao universo do crime e mostra um outro lado da violência policial em a Lei e o Crime


Por André Moreira


Vertigo Pop - Depois do sucesso de Tropa de Elite você volta a fazer um papel ligado ao universo do crime em a Lei e o Crime. Você não se preocupou com as possíveis comparações?

Caio Junqueira - A proposta é diferente, embora o argumento seja a violência no Rio de Janeiro. A Lei e o Crime aborda mais realisticamente as cenas e os conflitos que a gente vive no Rio.

Vertigo Pop - Dessa vez mesmo vivendo um policial como em Tropa, seu personagem é extremamente corrupto e violento. Como foi a composição do vilão Ramiro?

Caio Junqueira - Olha, o personagem é tão bem escrito, o Marcílio tem um destreza tão grande em compor esses personagens que ele vem quase pronto. Eu e o André Ramiro (de Tropa de Elite e que também está em A Lei e o Crime) fizemos uma imersão muito profunda no mundo da polícia durante Tropa de Elite, não só na preparação que a gente fez, mas também durante as filmagens e depois do filme que a gente também conhceu muitos políticos que lidam com a política de segurança pública no Rio de Janeiro. Então a gente pôde ter um apanhado do que realmente acontece em termos de milícia, de tráfico.

Vertigo Pop - Como você vê a relação dos moradores de favelas/milícia/tráfico?

Caio Junqueira - É muito louco porque o que a gente enxerga é que como nas favelas às vezes tem moradores que defendem o tráfico de drogas. As vezes por pressão dos próprios traficantes e se diz com a milícia também. Até porque aparentemente parece que não existe violência dentro da favela que é comandada pela milícia, mas a violência é muito imponente porque é uma violência psicológica e se você sair da linha você vai morrer.

Vertigo Pop - Acha que o seriado vai gerar o mesmo tipo de discussão que Tropa sobre a glamurização da violência?

Caio Junqueira - Expor a realidade existem milhares de perspectivas, de observação e de críticas. Se você expõe a realidade como ela é, principalmente como é em um veículo de massa como é o caso da televisão. E como foi o Tropa de Elite que acabou se tornando uma explosão por causa da pirataria e foi de fácil acesso para a população, ilicitamente obviamente, porém é inevitável que quando você expõe uma realidade que não se crie esses conflitos e essas questões. Eu acredito que o mais importante é que se exponh, é que as pessoas saibam como as coisas estão acontecendo. Quem vai resolver isso não vou ser eu ou você, vai ser todo mundo junto, se a sociedade entrar em um consenso, se a gente conseguir saber em quem vai votar, saber por onde o cidadão vai resolver esse problema e isso já é um grande adianto.

Confira o trailer de A Lei e O crime:

1 Comentários:

Patthy disse...

Caio Junqueira é um ator jovem e talentoso. Gostei do trabalho dele em Tropa de Elite e tb nas novelas e séries da Globo. Uma vez ele fez um papel de um neo - nazista radical e se vestia como Hittler, p/ mim uma das melhores e mais marcantes atuações. Nota dez pela entrevista meninos, parabéns. Bjs.

Top Ad 728x90