Top Ad 728x90

19 de mai de 2015

, , , ,

NOVELAS DAS NOVE: CHEGOU A HORA DE RENOVAÇÃO NO HORÁRIO

Foto divulgação/ Tv Globo
O mais tradicional e importante horário da Rede Globo vem passando uma grave crise de audiência desde a estreia de Babilônia, trama de Gilberto Braga em parceria com João Ximenes Braga e Ricardo Linhares. A novela, principal produto da emissora, tem patinado na casa do 25 pontos no ibope ficando longe do mais de 30 pontos, patamar exigido pela Vênus Platinada para o horário. 
Não é a primeira - e nem será a última - vez que isso acontece. Em um passado recente uma outra trama também teve sérios problemas no ibope. Era "Em Família", última novela de Manoel Carlos no horário e que também sofreu para conseguir levantar seus números. Fato que notoriamente não aconteceu. 
Assim como deve acontecer com Babilônia, Em Família teve um fim prematuro e longe do elaborado pelo autor de sucessos como História de Amor, Por Amor, Mulheres Apaixonadas e tantas outras tramas.
Como Manoel Carlos, Gilberto Braga tem uma longa estrada como autor de novelas, tendo inciado sua carreira nos distantes anos 70. Nome que dispensa apresentações, Braga brindou o público com tramas que entraram para história da teledramaturgia. São de sua autoria Dancin´Days, Louco Amor, Corpo a Corpo e a inesquecível e talvez sua maior obra, Vale Tudo. 
Dois autores que parecem ter esgotado suas fórmulas de boas tramas e perdido o rumo. Hora de se aposentar? Não acho que seja o caso. Mas seria o momento de uma grande e bem-vinda renovação no horário nobre a exemplo das tramas das seis e sete onde a emissora tem investido como sucesso em sangue novo e conquistado público e crítica. Casos recentes são "Alto Astral" de Daniel Ortiz  e de "Sete Vidas", de Licia Manso, atualmente no ar. Essa última já havia mostrado ser uma autora de mão cheia e com características próprias em sua estreia com "A Vida da Gente". Isso sem falar na dupla Felipe Miguez e Isabel de Oliveira, nomes por trás do sucesso "Cheias de Charme", novela que vai extrapolar a telinha rumo ao cinema em breve.
Nomes que mostram que é possível arriscar em novos autores e abrir um leque em um horário que por décadas esteve limitado a um fechadíssimo número. João Emanuel Carneiro (Avenida Brasil) e Walcyr Carrasco (Amor à Vida) conseguiram romper essa redoma e reforçam o seleto grupo que irá contar no ano que vem com a já consagrada Maria Adelaide Amaral, autora mais conhecida por escrever minisséries. 
Uma renovação mas que ainda carece de verdadeiro sangue novo, nova visão, novas formas de contar história. Em Família e Babilônia estão aí para confirmar que o sinal vermelho já foi acesso. Chegou a hora de mudar.

0 Comentários:

Top Ad 728x90