Top Ad 728x90

15 de nov de 2017

, , , , , , ,

LIGA DA JUSTIÇA | ESTREIA COM O PÉ DIREITO

Longa estreia depois de muita expectativa

Finalmente, a grande estreia chegou. O primeiro longa da Liga da Justiça chega hoje aos cinemas envolta em expectativas e polêmicas, como a troca de diretores após o fim das filmagens (saiu Zack Snyder e entrou Joss Whedon, diretor dos dois primeiros filmes dos Vingadores, rival da DC Comics), refilmagens de cenas importantes e até a polêmica em torno do bigode de Henry Cavill (Superman). O ator estava envolvido com as filmagens do novo Missão Impossível e não podia mudar o visual por questões contratuais. O problema foi resolvido nas pós-produção.
Mas a verdade é que mesmo com todo esse bafafá em cima do longa do supergrupo mais famoso dos quadrinhos e o peso que ele trás em relação à sua bilheteria depois do mediano Batman vs Superman: A Origem da Justiça e do fraco Esquadrão Suicida, o filme deve alegrar os fãs da Liga. Mesmo que ele apresente alguns problemas, como um vilão criado em CGI e sem muita profundidade, algumas incongruências do roteiro. Mas o principal está lá. A interação entre os personagens, ação e humor na medida certa e Batman, Flash, Aquaman (Jason Momoa empresta sua ironia ao personagem e mostra que em seu futuro filme solo Arthur Curry vai ficar longe da monotonia dos quadrinhos) e Mulher-Maravilha roubando a cena. O ponto fraco fica com Cyborg. De todos o personagem menos carismático do supergrupo e um momento de "queda" do filme. Bateu aquela saudade do Caçador de Marte.

Superman é outro personagem que retorna ao espírito do sua versão dos quadrinhos. Se em "Homem de Aço" e "Batman vs Superman" ele era retratado como um herói repleto de dúvidas e questionamentos, em Liga da Justiça é o que sempre foi: o líder e a esperança de um grupo que ainda está em formação. É o retorno na curva do personagem que os fãs tanto estavam esperando. Pena que ao final fica aquele gosto de que poderia ir ainda mais longe mas com certeza a sequência do longa que deve vir nos próximos anos deve colocar a Liga nos eixos.
A entrada de Joss, que conhece o mundo dos quadrinhos muito bem, foi fundamental para trazer o verdadeiro espírito dos quadrinhos ao longa da Liga. E isso fica ainda mais claro nas duas cenas pós-crédito. Fique até o final pois não vai se arrepender.
Liga da Justiça não chega para rivalizar com os Vingadores da Marvel mas para dar mais fôlego para um gênero que ainda tem muito para oferecer nos cinemas.

Nota: 8.0 😉

0 Comentários:

Top Ad 728x90