Top Ad 728x90

31 de mai de 2009

EXTERMÍNIO SOB MEDIDA



Misturando boas interpretações e cenas de ação, o diretor MCG consegue entreter o público com seu Exterminador do Futuro: Salvação, sem chegar ao ápice das duas primeiras sequências



Por Octavio Caruso

No futuro apocalíptico de 2018, John Connor é o líder de uma revolução armada contra a Skynet e seus ciborgues exterminadores. O futuro da humanidade está em suas mãos, porém ele precisa preservar seu futuro e para isso, precisa da ajuda de alguém do passado. Complexo,não?
Exterminador do Futuro: Salvação é apenas o melhor filme de ação do ano. Em seu gênero, consegue acertar em cheio seus objetivos.
Com a direção hiperbólica de MCG, que consegue (ao contrário de Michael Bay) unir pirotecnia e criatividade, o filme nos permite visualizar as seqüências de ação mais impressionantes dos últimos tempos, com muito barulho e cenas de, literalmente, tirar o fôlego.
A história se inicia de maneira atípica, com um homicida prestes a entrar no corredor da morte, recebendo uma oferta irrecusável.
O homem vivido por Sam Worthington é o elemento chave da trama complexa que envolve os enredos dos dois filmes iniciais da série e os complementa perfeitamente. Sua jornada rumo a redenção e suas escolhas são o foco escolhido por MCG para nos levar de encontro ao futuro apocalíptico vislumbrado nas telas.



Uma decisão muito acertada, pois respeita todos os fatos dos primeiros filmes (excluindo-se o terceiro, ainda bem!) idealizados por James Cameron. Não faltam citações explícitas, como uma foto de Linda Hamilton (Sarah Connor) e a frase clássica: “I´ll be back”. Isso sem falar na participação relâmpago de Arnold Schwarzenegger, que com certeza arrancará palmas da platéia. O governador da Califórnia não gravou cenas para o filme, no entanto a equipe de “mágicos” da ILM consegue recriar com espantosa exatidão um Arnold virtual perfeito e funcional.
Como o herói da revolução John Connor, Christian Bale imprime carisma e consegue trazer a tona as incertezas e falhas que humanizam o personagem, tornando-o interessante e sendo um contraponto ao personagem vivido por Anton Yelchin, o aparentemente frágil, Kyle Reese.
Enquanto Connor aparenta grandeza, porém esconde suas limitações, Reese possui um coração guerreiro, escondido atrás de uma inocência infantil.
Com base nestes personagens cria-se uma linha de pensamentos e questionamentos que mostram o real valor da humanidade. Bom demais para um simples filme de ação.
A presença da bela atriz Bryce Dallas Howard como a namorada de John Connor, impressiona muito mais que a suposta atriz principal Moon Bloodgood. Sem carisma, apesar de linda, a atriz desaponta como a valente Blair Williams, sendo um dos pontos fracos do projeto.
A trilha sonora de Danny Elfman acerta ao resgatar o marcante tema do primeiro filme, porém falha em não adicionar nada.
No geral, um entretenimento pirotécnico de ótima qualidade, como só Hollywood sabe fazer.





Veja mais fotos de Exterminador do Futuro: Salvação clicando aqui


Leia nosso especial sobre a franquia Exterminador do Futuro clicando aqui

2 Comentários:

Top Ad 728x90