Top Ad 728x90

13 de ago de 2009

VERTIGO POP ESTREIA: BRÜNO



ESCRACHO FASHION
Sacha Baron Cohen mais uma vez investe em seu humor escatológico e irônico com Brüno

Por André Moreira


Criador do rapper sem-noção Ali G, que já deu suas caras em um clipe de Madonna (Music) e do elogiado - e seu maior sucesso até agora - Borat, Sacha Baron Cohen é hoje o simbolo do cinema cínico e escatológico, mas no bom sentido da palavra. Com Borat, fictício segundo maior repórter do Czaquistão, ele colocou o dedo na ferida ao expor os preconceitos da sociedade.

Agora Sacha retorna com mais munição e ataca no mundo das celebridades. Se você achou que com Borat ele já havia ido longe, agora ele mostra com seu novo filme, Brüno (com trema mesmo), que não existem limites para seu escracho. Mais uma vez repórter, porém com um quê fashion, Brüno está obstinado em se tornar a maior celebridade do mundo e ruma para Los Angeles, meca dos famosos, para por seu plano me prática. Obstinado, não mede esforços para conseguir o que quer, até mesmo adotar um criança africana - tal qual certas celebridades-, participar de swings ou mesmo tentar fazer uma entrevista nada comum com a cantora e jurada Paula Abdul.

Brüno é uma mistura de escatologia, humor e ironia do começo ao fim e cresce ainda mais quando o protagonista "confronta" indivíduos comuns e põe à prova até mesmo sua integridade física. O filme em si talvez espante os mais pudicos, principalmente aqueles que não gostarem de ver um close dançante da genitália masculina (uma das cenas mais constrangedoramente engraçadas do cinema atual talvez), mas mesmo assim o filme não deve ser uma unanimidade negativa. Principalmente por apontar com dedo firme os exageros das pseudo-celebridades que surgem cada dia com mais força. Brüno talvez não consiga a mesma repercussão que seu antecessor Borat, que agiu em cima do ineditismo e isso não tem como ser reproduzido. Mas como o próprio Brüno diz, isso foi muito 2006.

1 Comentários:

Top Ad 728x90