Top Ad 728x90

16 de out de 2009

VIVA FERNANDA


Completando 80 anos, a atriz segue firme nos palcos e nas telas sendo referência para as novas gerações

Atriz, Diva, Mãe, Avó, Mulher. Muitas em uma. Seja no teatro, no cinema ou na televisão, Fernanda Montenegro chega aos 80 anos sendo tudo isso e talvez mais. Talvez a única unanimidade em sua área, Fernanda atravessou o tempo de forma firme e idônea tal qual sua carreira, sem abrir concessões que pudessem arranhar sua trajetória.
No teatro foi de Fedra a Dona Doida. no cinema emocionou com Eles Não Usam Black Tie e Central do Brasil - sendo indicada ao Oscar por esse trabalho - dentre tantos outros. E na televisão fez rir e chorar com trabalhos memoráveis em um veículo que para muitos ainda é considerado - erroneamente - um subproduto da cultura. Mesmo assim, foi talvez neste veículo que Fernanda pode chegar com mais força junto ao povo. Personagens que marcaram época na teledramaturgia e que merecem ser relembrados.
Famosa no teatro na época, Fernanda fez sua estreia na globo em 1981 em Baila Comigo. A atriz seria a primeira Helena de Manoel Carlos, mas com mudanças sugeridas pela emissora o papel coube a Lilian Lemmertz. Assim Maneco criou um personagem exclusivamente para Fernanda, Silvia Toledo. Mas a atriz não chegou até o fim da novela. Escalada por Gilberto Braga para viver a vilã Chica Newman em Brilhante, Fernanda saiu da trama antes de seu final, uma vez que a novela de Gilberto substituiria a de Manoel Carlos logo em seguida. Apesar de seu talento, a novela não foi o maior sucesso de sua carreira, o que só ocorreria de fato anos depois em Guerra dos Sexos, novela de seu amigo Silvio de Abreu.

Na trama Fernanda dividia a cena com outro monstro do teatro, Paulo Autran (1922-2007). A novela fez extremo sucesso com sua comédia farsesca e um elenco de primeira sendo coadjuvantes dos dois atores que vivam primos (Charlô e Otávio) que se odiavam. Guerra dos Sexos também marcou época por colocar o humor como protagonista de uma novela. Depois de seu sucesso a Rede Globo passou a investir no filão, o que acontece até hoje, mesmo que sem o mesmo brilho de outrora.
O retorno as novelas e ao humor se daria mais uma vez pelas mãos de Silvio de Abreu. A novela era Cambalacho e Fernanda dava vida a uma trabiqueira ao lado de Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006) (seu par também em Eles Não Usam Black Tie). Depois desse trabalho a atriz só retornaria a uma trama de Silvio em 1990, em Rainha da Sucata para uma participação especial. Nos anos seguintes a atriz pode ser vista em Riacho Doce, O Dono do Mundo (de Gilberto Braga) e Renascer (de Benedito Rui Barbosa). Nesta última vivendo uma cafetina na primeira fase da trama, o que bastou para lhe render elogios da crítica e público com sua interpretação impecável. A atriz também participou da última novela de Cassiano Gabus Mendes, O Mapa da Mina. Mas nem mesmo Fernanda foi capaz de salvar a novela de um fiásco.
Também esteve na série Incidente em Antares, Zazá, Esperança, Filhas da Mãe (mais uma vez sob a batuta de Silvio de Abreu) e Hoje é Dia de Maria. Fernanda Montenegro sempre disse estar cansada da jornada de gravações, mas após um convite irrecusável de Silvio de Abreu (ele de novo), a atriz retornou as novelas em Belíssima no papel da vilã Bia Falcão, avó e antagonista da própria neta vivida por Glória Pires. Sucesso da atriz e da parceria com Silvio que deve render em breve mais um trabalho, uma vez que Fernanda já está reservada para a próxima novela do autor.
Olhando para trás com certeza Fernanda Montenegro deve se orgulhar do legado que construiu e que continua construindo. Principalmente por mostrar para as novas gerações que ser ator não é tão somente o brilho da fama. Palmas para ela e como se diz no teatro, Merda.




5 Comentários:

Top Ad 728x90