Top Ad 728x90

11 de jan de 2012

,

CRÍTICA: DERCY DE VERDADE

Fotos divulgação/ Rede Globo

Por André Moreira

Há muito tempo que Dercy Gonçalves merecia uma homenagem em forma de minissérie. Não só pela sua história de vida, mas principalmente por ter sido a principal comediante brasileira de todos os tempos. Dona de uma personalidade forte, Dercy, nascida Dolores, rompeu as barreiras do preconceito não só por ser mulher, mas também por querer se tornar uma atriz de sucesso em uma época em que seguir esse ofício era ser tachada de prostituta. Reflexo de uma época que felizmente não retorna mais. Mesmo sem o glamour que a profissão hoje ostenta, Dercy seguiu em busca da sua felicidade e fez história. História que Maria Adelaide Amaral traduziu em livro no início dos anos 90 e que somente agora ganha uma adaptação para a televisão, Dercy de Verdade.

Com uma biografia extensa para míseros quatro capítulos, Dercy de Verdade estreou ontem com a promessa de ser uma das melhores produções televisivas de 2012. E de fato é pelo que foi visto no primeiro capítulo exibido ontem e que tem seu desenrolar até esta sexta-feira.

Com o cuidado e esmero que todas as produções desse tipo possuem dentro do núcleo de dramaturgia da emissora, a produção dirigida por Jorge Fernando consegue reproduzir com detalhes o universo da comediante desde sua juventude contestadora até a idade adulta, quando enfim conheceu o sucesso. Embora seja uma história bem contada até aqui, pouco se aprofunda nos personagens secundários, os que dão base para contar a história da protagonista. Faltou explorar melhor os conflitos, que com a edição enxuta foram apenas pontuados. Não tira o brilho da trama, mas deixa de acrescentar em seu roteiro.

O que dá solidez para a microssérie são as ótimas atuações de seu elenco, onde Heloísa Perissé brilhou ao lado de Fernando Eiras, um ótimo ator pouquíssimo bem aproveitado na televisão e que merece aparecer mais vezes na telinha. Rosi Campos foi pouco aproveitada, o que é uma pena. Uma atriz como ela merecia um maior destaque. Do outro lado dessa história está Fafy Siqueira, que dá vida a fase mais famosa de Dercy. Apareceu ainda pouco, mas disse a que veio. Creio que para ela seja mais difícil dar vida a saudosa comediante, uma vez que sua “versão" é a mais conhecida do grande público e há de surgir comparações. Dercy era um figura forte e marcante e por isso muito difícil de vivê-la. Vamos ver as cenas dos próximos capítulos para tirar as devidas conclusões.

2 Comentários:

Top Ad 728x90